Inicio  »   » A Inquisição: Conselho Federal de Medicina Veterinária persegue profissionais que defendem o tratamento da leishmaniose

A Inquisição: Conselho Federal de Medicina Veterinária persegue profissionais que defendem o tratamento da leishmaniose

Autor

Por Victor Barone
Fotos: Elis Regina

Fecha de publicación

29/12/2012

Resumen

A cassação do mandato da presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Mato Grosso do Sul (CRMV-MS), Sibele
Luzia de Souza Cação, oficializada no último dia 17, foi o ápice de uma política de perseguição patrocinada pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) e pelo Ministério da Saúde contra os profissionais que defendem o tratamento da leishmaniose no Brasil.

Abstract

O argumento do CFMV é que Sibele defendeu publicamente o tratamento de cães portadores de leishmaniose, além de ter arquivado três pedidos de investigação contra o médico veterinário André Luiz Soares da Fonseca. Membro da Comissão de Leishmaniose do CRMV/MS, professor de Imunologia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), sócio fundador do BRASILEISH -

Artículo

O argumento do CFMV é que Sibele defendeu publicamente o tratamento de cães portadores de leishmaniose, além de ter arquivado três pedidos de investigação contra o médico veterinário André Luiz Soares da Fonseca. Membro da Comissão de Leishmaniose do CRMV/MS, professor de Imunologia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), sócio fundador do BRASILEISH - Grupo de Estudos sobre Leishmaniose Animal e doutorando em Doenças Tropicais no Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, André Luiz é um dos maiores pesquisadores da doença no País e defensor ferrenho do seu tratamento. Em consequência, tornou-se o principal alvo das ações do CFMV. O argumento do CFMV é que Sibele defendeu publicamente o tratamento de cães portadores de leishmaniose, além de ter arquivado três pedidos de investigação contra o médico veterinário André Luiz Soares da Fonseca. Membro da Comissão de Leishmaniose do CRMV/MS, professor de Imunologia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), sócio fundador do BRASILEISH - Grupo de Estudos sobre Leishmaniose Animal e doutorando em Doenças Tropicais no Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, André Luiz é um dos maiores pesquisadores da doença no País e defensor ferrenho do seu tratamento. Em consequência, tornou-se o principal alvo das ações do CFMV.O argumento do CFMV é que Sibele defendeu publicamente o tratamento de cães portadores de leishmaniose, além de ter arquivado três pedidos de investigação contra o médico veterinário André Luiz Soares da Fonseca. Membro da Comissão de Leishmaniose do CRMV/MS, professor de Imunologia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), sócio fundador do BRASILEISH -Leer artículo completo en semanaonline.com.br/edicao=55#page=16a21

“O Conselho Regional foi coagido pelo CFMV a abrir um processo contra mim depois de ter arquivado três. Agora descontaram na Sibele. O CFMV diz que eu faço o tratamento e o divulgo pela internet. Estou divulgando sim. Estou contradizendo o CFMV. Eles dizem que não há tratamento para a leishmaniose, eu digo que tem, e que dá para fazer o tratamento sem violar a portaria do Ministério da Saúde”, afirmou o veterinário.

Comentarios